Скачать шаблон Joomla с JooMix.org

CNJ finaliza minutas de resoluções sobre temas do novo CPC

18 Abril 2015 K2_ITEM_AUTHOR 

O processo de regulamentação de temas do novo Código de Processo Civil (CPC) entra em fase final no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O grupo de conselheiros responsável pela elaboração de propostas de resolução sobre o tema apresentou, nessa quinta-feira (2/6), minutas sobre demandas repetitivas, atividade dos peritos, honorários periciais e leilões eletrônicos.

Os conselheiros voltam a se reunir no dia 15 de junho para discutir a redação final das propostas de atos normativos, inclusive sobre os temas não apresentados no encontro, como comunicações processuais e atualização financeira.

Uma vez aprovadas pelo grupo de trabalho, as minutas serão encaminhadas à Presidência do Conselho, que decidirá quando submetê-las ao plenário do CNJ. Segundo o conselheiro que coordena o grupo, Gustavo Tadeu Alkmim, a expectativa é que as propostas estejam prontas para análise até o fim do mês. “Agora, os conselheiros terão a oportunidade de fazer análises pormenorizadas das propostas para fazermos um debate minucioso na próxima reunião”, explicou o conselheiro. As propostas de regulamentação do CPC que estão sob análise foram produzidas pelos conselheiros Arnaldo Hossepian, Carlos Augusto Levenhagen, Carlos Eduardo Dias, Fernando Mattos, Luiz Claudio Allemand, além do próprio Gustavo Tadeu Alkmim.

Os textos consideraram as sugestões apresentadas por integrantes do sistema de Justiça, da sociedade civil e especialistas durante a consulta pública e a audiência pública promovidas pelo CNJ. “É importante ressaltar que o trabalho dos conselheiros realizado até o momento já levou em consideração todas as contribuições apresentadas tanto na audiência pública quanto na consulta pública que realizamos. A democratização e a transparência do debate foram fundamentais nesse processo”, disse o conselheiro Alkmim.

Consulta – Entre 18 de março e 4 de abril, o CNJ realizou consulta pública para receber sugestões sobre formas de normatizar os temas referidos. Ao todo, foram mais de 400 manifestações, apresentadas por estudantes, magistrados, professores, leiloeiros, peritos, advogados, entidades de classe, entre outros.

Audiência – No dia 11 de maio, o CNJ realizou audiência pública e ouviu magistrados, advogados, auxiliares da Justiça, entidades de classe, entre outros interessados, para discutir os temas que serão objetos de regulamentação e assim promover a pretendida ampliação do debate com os participantes do sistema de Justiça.

 

Manuel Carlos Montenegro 
Agência CNJ de Notícias

7060 comentários 7994 K2_VIEWS

K2_COMMENT_ITEM

K2_LEAVE_YOUR_COMMENT

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Contato

Atendemos com hora marcada... Agende sua visita

  • 15 de novembro, n° 1.297, Cep 79002-141 - Campo Grande/MS
  • Tel: 67 3015-1501
  • Email: contato@cimabrasil.com.br
  • Skype: cimabrasil

Sobre nós

A CIMA BRASIL oferta o Curso de Capacitação e Formação Terceiros Facilitadores Mediação de Conflitos para todos as pessoas interessadas que vislumbram a necessidade de conhecimento prévio sobre a consolidação de um dos meios adequados de solução de conflitos, incentivando o aperfeiçoamento das técnicas utilizadas nas sessões de mediação.

Скачать шаблон Joomla с JooMix.org
We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…